CARLOTA JOAQUINA: a princesa do Brasil



Por Lane Reis 

CARLOTA Joaquina, princesa do Brasil. Direção: Carla Camuratti.Interprétes: Ludmila Dayer, Maria Fernanda, Eliana Fonseca, Brent Hieatt, Marco Nanini, Marcos Palmeira, Marieta Severo. Roteiro: Carla Camurati e Melanie Dimantas. Brasil.1994. Vídeo e DVD (100 min). Color.


Carlota Joaquina, a princesa do Brasil, é um “romance’ histórico que retrata a vinda da Família Real para o Brasil, bem como o momento de libertação do jugo português que a colônia estava começando a passar. Além  de retratar uma série de fatos importantes que formaram a base da atual sociedade brasileira e que iniciou com a sua vinda para a colônia, fugindo das forças napoleônicas em pleno século XIX. Porém, trata-se muito mais de um “romance-histórico” cômico do que propriamente um filme “histórico”. Schvarzman (2003) afirma que no geral, os filmes históricos são freqüentemente enfadonhos uma vez que se preocupam  muito mais em apresentar fidelidade “realista” as suas referências históricas, mas o mesmo não acontece com Carlota Joaquina. Embora todo o filme seja reduzido a fatos que vai desde a abertura dos portos brasileiro às nações amigas, quando o D. João VI já tinha chegado ao país até a assinatura dos tratados de comércio e navegação e a chegada da Missão Francesa, mas tudo retratado de forma bastante cômica e teatral,  o que o torna bem mais interessante do que outros filmes do gênero.

Como ela era feia.. não era à tô que era tão invejosa
É importante observar que a História sempre esteve presente no cinema desde os seus primórdios que foi bastante utilizado para representar fatos importantes que ocorreram na nossa história, bem como personagens consagrados que serviram  como divertimento popular. Por isso podem ser usados como recurso pedagógico em sala de aula para despertar nos alunos maior interesse por fatos, e pessoas que realmente existiram e despertar neles a vontade de aprender, pois ”A história sancionava, por sua seriedade, pela idéia de verdade a ela associada,a importância do cinema, um divertimento popular.”(SCHAVARZMAN, 2003, p. 165) E Carlota Joaquina, contribui bastante neste sentido, devido a  leitura cômica que faz de personagens e fatos históricos. Portanto, o filme  é uma leitura de acontecimentos históricos, servindo-se de uma personagem histórica da qual pouco se fala na história nacional  que através de  um olhar   que escapa o lugar comum propõe uma nova encenação da História do Brasil. 

Para Schvarzman (2003)  Carlota Joaquina foi um marco na retomada do cinema nacional “ Carlota Joaquina, filme de tema histórico, foi um grande sucesso de público em 1994. O filme tornou-se um marco do que se convencionou chamar de ‘retomada do cinema brasileiro’” (SCHVARZMAN, 2003, p. 167). A grande crítica do filme reside na forma caricata com que trata os membros da família real portuguesa, especialmente, Dom João que é bastante preguiçoso, influenciável, comilão de personalidade facilmente manipulável. Já D. Carlota  é retratada como um mulher de gênio forte, ardente de apetite sexual insaciável, tendo traído Dom João várias vezes e tido vários filhos fora do casamento, mas que não lhe eram motivos de arrependimentos ou remorsos. A partir destas características o filme nos dá uma visão de alguns elementos da nobreza e também uma ideia de como eram feitos os acordos que uniam as famílias, posses e poder da época como o observado no casamento de Dom João e D. Carlota. Além é claro de mostrar as ardilosas maquinações políticas de Dom João para conseguir manter Portugal e Brasil sob seu controle,  acabando com as pretensões de autonomia pessoal e política de Carlota Joaquina.

Um fato interessante mostrado no filme é a influência dos ingleses sobre as decisões de Dom João VI quando da vinda da Família Real para o Brasil, através do personagem Lord Strandford que serve como uma referência importante para o desenrolar destes acontecimentos e nos mostrar a relação existente entre Inglaterra e governo português. A chegada às terras brasileiras, bem como a adaptação dos portugueses ao novo ambiente e dos brasileiros em relação aos hábitos dos novos moradores também merecem ser lembrados, pois modificaram bastante a vida na colônia, corrompendo todos seus hábitos e promovendo políticas arbitrárias para desalojar os habitantes em benefício dos nobres. No filme há uma ênfase bastante caricata nas condições financeiras não somente dos nobres portugueses, mas também da própria população brasileira que lucrou bastante com a mudança da Corte para o Brasil. Já que passou a ter mais aproximação com o mundo Ocidental. Além disso, a colônia se modernizou bastante uma vez que passou a dispor de instituições e lugares importantes  para a vida em sociedade como Banco do Brasil, o Jardim Botânico, a Biblioteca Nacional  e a criação da primeira Constituição que acabaram culminando com a Independência do Brasil.

O filme também pretende mostrar o contato dos europeus com o ambiente tropical cheio de negros, índios e mestiços cujos signos são absorvidos pela diretora e transformados em símbolos exóticos, tropicais que expõe a forma como os portugueses tinham em mente a colônia brasileira. É como se o Brasil incorporasse os olhos dos estrangeiros e passasse a se ver através deles. Carlota Joaquina, a princesa do Brasil, é um filme muito mais do que cômico, pois conta a história da evolução do Brasil a categoria de Reino através de outros olhos e de outro ângulo. Contrário a visão dos historiadores mais tradicionais, o que nos fornece um contraste entre o imaginário do europeu em relação ao que realmente o Brasil é na verdade.

REFERÊNCIAS

SCHVARZMAN, Sheila. Humberto Mauro e as imagens do Brasil. São Paulo: Unesp, 2003.



3 comentários:

vitória Sz disse...

gostei do filme,retrata de uma forma engraçada uma história verdadeira entra brasil,Portugal e Espanha.

Anônimo disse...

O filme é realmente muito estimulante, conta uma parte importante da historia brasileira de uma maneira clara e divertida de aprender.

Anônimo disse...

Muito interessante e engraçado , foi uma ideia bem divertida para nós sabermos um pouco da história brasileira , aprendi bastante com esse filme

Postar um comentário

Copyright © Oficina Sociológica